Paulo Guedes fala sobre a criação do “único federal”

Em discurso na “Marcha dos Prefeitos, o ministro abordou a união dos impostos e a importância da reforma da Previdência

Nesta terça-feira, 9, o ministro da Economia, Paulo Guedes discursou sobre a pretensão de criar ainda em 2019 o Imposto único Federal, que unirá de três a cinco impostos. O evento em Brasília contou com a participação de diversos prefeitos, na capital do país.


Guedes disse que, com o imposto único, contribuições e impostos serão todos compartilhados com Estados e municípios. Retomando um assunto de grande discussão, a reforma da Previdência, ele voltou a defender o modelo de privatização e a importância da mesma para o país.


O ministro estima que a reforma seja aprovada nos próximos três a cinco meses, ou ainda no primeiro semestre do ano. Paulo Guedes também discursou sobre pontos sensíveis para os prefeitos, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a economia de financiamento e capitalização.


De acordo com Guedes, o fundo a ser criado com a capitalização será garantido pelo governo e, se o trabalhador não conseguir o mínimo no futuro, o governo completará a diferença. Esclarecendo algumas dúvidas, ele voltou a dizer que receber o benefício abaixo do mínimo aos 60 anos será opcional e o beneficiado poderá esperar até os 65 para se aposentar com o salário mínimo.


“Os privilegiados também terão que trabalhar até 65 anos, da mesma forma dos mais pobres. A alíquota de 22% é para quem ganha mais do que o presidente da República, ninguém pode reclamar”, afirmou.

Fontes: Estadão / Terra